A Usina Ipojuca

 

 

Cento e vinte anos de história
no mercado sucroalcooleiro de Pernambuco

Trinta de dezembro de 1889: esse é o marco do início das atividades da Usina Ipojuca. Através de um decreto assinado pelo Barão de Lucena e publicado na data acima citada, foi concedida à Bandeira & Siqueira permissão para se implantar a fábrica que, naquele tempo, foi denominada Usina Bandeira.

Posteriormente, os irmãos José, João e Francisco Dourado da Costa Azevedo compraram a usina, que atravessava um período de crise. Foi aí que se deu a mudança do nome de Bandeira para Usina Ipojuca. Depois de passar pelas mãos de José Maria Carneiro da Cunha e do agrônomo Severino Barbosa Mariz, em 1948, Antônio Dourado Neto adquiriu a empresa e iniciou um processo de expansão e modernização da indústria.

Em 1997, Francisco Luiz Dubeux Dourado, filho de Antônio Dourado Neto e Maria de Lourdes Dubeux Dourado, assume o controle acionário da Usina Ipojuca. Junto a seus filhos Marco Antônio Queiroz Dourado, Luciana Dourado Cruz e Francisco Queiroz Dourado, implementa uma administração moderna que ampliou a produtividade tanto do campo quanto da indústria.

 
- O cumprimento da legislação vigente

- A garantia de uma produção industrial com qualidade e segurança dos alimentos

- O atendimento das especificações de seus clientes

- O aperfeiçoamento de seus colaboradores através do estímulo à educação contínua

- A busca pela eficiência dos processos de gestão na busca pela melhoria da qualidade dos produtos fabricados.